Resenha: The perks of being a Wallflower

Olá!

Tudo bem?!

Recentemente tive a chance de adquirir a versão impressa de The perks of being a Wallflower (As vantagens de ser invisível, em português). Acontece que eu já tinha lido o livro antes, só que em inglês. Li o livro antes de seu lançamento no cinema que, por um acaso, teve seus personagens principais interpretados por um trio de atores muito especial para mim: Logan Lerman como Chalie, Emma Watson (<3) como Sam e  Ezra Miller como Patrick. De qualquer forma, não vou falar no filme, embora ele arranque de mim tantas lágrimas e tantos risos como da primeira vez que o vi. Hoje vou falar da minha releitura de um livro que tem tanto a falar mesmo depois de tantos anos. 

Jpeg

O livro é composto por cartas escritas por Charlie, que é um rapaz que está saindo do ensino fundamental e está ingressando no Ensino médio (ou High School). A diferença dele para as outras crianças é que no final do fundamental, seu melhor amigo comete suicídio e durante toda a história percebemos que Charlie sofreu muito com isso e acabou por desenvolver depressão e outras doenças que eu, por total falta de entendimento no assunto, não consegui saber por exato quais eram.

Ok?! Você nunca leu o livro e agora ficou totalmente desinteressado. Calma, eu não acabei.

Apesar de todo esse contexto complicado, o livro não gira em torno dessa temática. O problema central da história é esse momento de transição que todos passamos. Trata-se de se conhecer como pessoa e entender o que o mundo espera de você. Como é gostar de alguém e querer o bem dessa pessoa acima do seu próprio. É sobre ver como uma paixão pode destruir sonhos e ao mesmo tempo como a decepção que essa paixão causa pode te ajudar a enxergar o mundo de uma forma que será benéfica pra você. É sobre as primeiras vezes, o primeiro beijo, o primeiro romance, a primeira viagem de carro com seus amigos, a primeira vez que você deixa a vida te levar  rumo ao futuro incerto.

Charlie se vê cercado de amigos, amigos que ele jamais pensou que teria. Ele vê como sua irmã namorou  um cara que a decepcionou, vê a relação de seus pais, como é a vida de seu irmão quando ele foi pra faculdade. Ele começa a entender que amar, nem sempre, é deixar com que as pessoas façam o que quer, mas é alertar e dizer que não as vezes.

Acho que acabei não falando muito sobre o livro em si né?! Mesmo falando (ha). De qualquer forma, As vantagens de ser invisível fez com que eu entendesse um pouco melhor algumas questões da vida e vi em Charlie muito da garota que já fui um dia e da mulher que sou ainda.

Em uma escala de 0 à 10:  As vantagens de ser invisível é, com certeza, um 10.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s