SUAS MEIAS DE REGGAE

Meados de setembro de 2014.

Alguma vez você já olhou para alguém e sentiu como se, de alguma forma, já tivesse conhecido tal pessoa? Já se deparou com aquela sensação de que aquela pessoa poderia fazer parte da sua vida?
Foi exatamente assim que eu me senti em relação a você.
Aconteceu da forma mais espontânea possível, apenas te olhei e quis de alguma forma te conhecer. Não foi sua beleza (mas preciso ser sincera você é lindo! Tanto interiormente como exteriormente) e muito menos algo ligado ao seu superficial, e sim, foi seu sorriso. Sim, o seu sorriso. Lembro até hoje a forma como você sorri, é uma forma tão linda, que parece até que seus olhos sorriem junto com você. Às vezes, quando você sorri seus olhos se fecham e ao mesmo tempo joga de lado sua cabeça parecendo um tanto engraçado, porém um engraçado que se torna único porque é sua forma de sorrir.
E sem querer, em meio a uma porção de pessoas, o seu sorriso foi o único que me encantou.
É engraçado dizer isso, mas eu queria conhecer o dono daquele sorriso. Ah, como eu queria!
Quando você chegou estava a uma distância relativamente longe, então não conseguia ouvir sua voz claramente… Porém, quando você se aproximou e consegui ouvir sem interferências e de forma ampla sua voz, foi como se eu apenas tivesse ouvido sua voz soubesse, sem dúvida alguma, que aquele sorriso te pertencia.
Porém, eu queria algo mais.
Mais do que simplesmente ouvir sua voz e admirar aquele sorriso. Queria conhecer um pouco de você. Queria conhecer o seu interior.
Como também queria conhecer a forma como seus lábios se encaixariam aos meus.
Porém, eu nunca fui dessas meninas que conseguem se aproximar, conversar, lançar olhares sedutores e demonstrarem interesse. Sou dessas mais reservadas, quietas e apenas me aproximo quando a pessoa se aproxima. Até que em determinado momento da noite eu refleti: “será que eu posso tomar essa atitude?”, “será que não vou parecer vulgar?”, “será que ele se interessaria por mim” e “meu Deus, eu quero conhecer esse sorriso”. E quando refleti isso por último decidi que tomaria uma decisão. E no último instante, antes de seguir meu caminho de volta, segurei na mão esquerda dele (nem preciso dizer qual foi a sensação… foi uma das melhores sensações que eu já senti, diante do fato de que era o que eu queria naquele momento) e apenas pronunciei: “Você é lerdo” (tenho que admitir que não sei como demonstrar meus sentimentos), e é como se em minha memória houvesse sido instituída a câmera lenta: lembro que você sorriu, jogou a cabeça meio de lado, segurou forte a bebida em sua mão e disse: “Como? Eu nem percebi… Sou tímido”, ai eu apenas balancei os ombros (sim, quis me fazer de difícil nessa altura do campeonato) e saí andando normalmente.
Até que senti uma mão me segurar forte e ao senti-la tive a certeza que era a dele. E nesse momento eu apenas fechei os olhos por 2 segundos e olhei de volta. E lá estava ele. Eu não conseguia olhar diretamente nos olhos dele (sim, eu sempre tive dificuldade em encarar a pessoa que estou “afim”, nunca consegui compreender esse fato em mim, talvez isso seja para o próximo texto) e apenas deixei que ele me olhasse. Sim, eu deixei, e percebi que ele me olhava, porém eu não olhava de volta pra ele.
Ele virou o rosto, fixou o olhar em mim e disse: “Você é linda!” (caramba, ele me chamou de linda! Sim, essa foi a primeira coisa que eu pensei naquele momento: linda. A segunda coisa que eu pensei foi: será que ele sabe o que é linda? E ri interiormente. E a terceira e última coisa que pensei foi: Não, você é lindo), mas ao invés de falar permaneci calada olhando para os lados como se estivesse perdida (sim, eu faço isso direto) e do nada ele falou: “Posso beijar você?” (sim, ele pediu), e toda sem jeito eu disse: “Pode”.
E assim aconteceu. Não sei especificar quantos segundos ou minutos durou aquele beijo. Não sei dizer quanto durou o segundo beijo. Só sei dizer que foi muito bom. Foi instantâneo e sem pressão alguma.
Foi incrível.
E claro que houve outros beijos. Melhores que o primeiro. Melhores que muitos que eu já havia provado em toda minha vida.
Você é melhor que muitos que já conheci em toda minha vida. (não que eu tenha conhecido vários, mas entre todos que já passaram em minha vida você tem suas incríveis qualidades).
Você é o inverso de mim. Totalmente e completamente o inverso de mim. E foi esse inverso que eu gostei.
Você é o lado errado que o meu lado certo jamais me permitiu ser. Você é o lado disperso que o meu lado concentrado jamais me permitiu ser. Você é o lado agitado que o meu lado calmo jamais me permitiu ser. Você é simplesmente você.
E por ser simplesmente você é que faz a diferença. É que fez a diferença em mim.
Eu queria ter tido mais encontros com você. Eu queria ter tido mais chances. Eu queria ter tido mais momentos pra dizer o quão importante você é.
Eu queria muitas coisas.
Mas a vida acontece e não temos controle das coisas que irão acontecer.
Eu queria que muitas coisas não tivessem acontecido.
Não em relação ao que senti e ao que passei com você… Porque essas coisas eu jamais quero esquecer. De certa forma, essas lembranças sempre permanecerão intactas.
Queria, principalmente, não ter tido medo. Medo do que eu poderia sentir. Medo do que você poderia sentir. Medo do que poderia acontecer entre nós.
Eu tive medo. Medo de querer algo e me decepcionar.
Eu pensava que eu já estava remendada de muitos machucados e que não precisava de mais nenhum. Eu me enganei. Eu queria ser machucada por você. Sim, eu queria.
Porque assim eu teria a certeza de que eu me permiti. Que me permiti sentir de novo coisas que por muito tempo reprimi, que me permiti sentir novos sentimentos e sensações… Porém, eu não me permiti.
E nem deixei você se aproximar de mim.
Eu jamais iria mudar seu estilo de vida, sua forma de pensar e acreditar em diversas crenças, jamais mudaria sua forma de se vestir e de cortar o cabelo, jamais mudaria a sua bagunça ou o seu jeito todo esquecido de ser. Eu não mudaria porque eu gostei de tudo isso.
Sim, eu gostei de você da sua forma.
Eu jamais forçaria você a nada. Absolutamente nada. Jamais modificaria sua forma de ser livre. Pois, eu gostei também de sua forma livre de ser.
Sim, eu gostei de tudo em você.
Inconscientemente quando eu pensava em você, eu sentia que eu não precisava ser o que a sociedade nos impõe a ser, apenas tinha a certeza de que as coisas não precisam ser exatamente do jeito “certo” ou do meu jeito. Apenas tinham que ser!
E eu sinto falta disso.
Eu sinto falta de você.
Talvez, nesse momento, você nem se lembre da minha voz, do meu rosto, da minha risada, da minha feição de séria ou dos meus momentos levemente alterados, porém eu sempre me lembrarei de tudo em você.
Mesmo com o passar do tempo vou lembrar do que mais me encantou: do seu sorriso.
Me lembrarei da forma como você entrelaçou seus dedos aos meus; da forma como me abraçou; da forma como me beijou como também da forma como riu durante o beijo; da forma como você senta pacientemente no sofá; da forma como do nada você parece viajar como se existisse um mundo tridimensional e lá estivesse por alguns segundos e depois retornasse; da forma como você segura o copo e às vezes quando para, observa o copo e levanta o olhar; da forma como anda… Sou detalhista e observadora, e não vejo problemas com isso. Ou vejo? Ainda não me decidi sobre isso.
Eu sempre me lembrarei das suas meias de reggae. Do seu cabelo. Da cor dos seus olhos. Do formato da sua boca.
Resumindo, eu sempre me lembrarei de você.
Não vou dizer que foi amor à primeira ou à segunda vista. Não vou dizer que sou uma louca desvairada por você. Não vou dizer que me apaixonei desesperadamente por você.
Mas vou dizer: Eu gostei de você e ainda gosto de você.
Gosto do ser humano que você é.
Gosto da sua generosidade.
Gosto da sua loucura.
Gosto de você.
E acredito que tudo aconteça por uma razão.
E tenho certeza de que ter tido a chance de conhecer você foi uma das melhores coisas que poderiam acontecer.
Você, sem ao menos perceber, me mostrou um mundo novo e serei eternamente grata por isso e por sua existência nesse mundo. Você sempre estará nos meus melhores pensamentos e nas minhas imensas e gratas lembranças.
E, se for pra ser algo além dessa pequena história que compartilhamos, será!
Aprendi que o tempo é o senhor da razão, que tudo acontece no seu devido tempo e o que nos é concedido por um tempo necessário se transforma  em uma imensa bagagem de experiências e aprendizados incríveis.
E eu aprendi muito com você. Só de ter estado pequenos instantes com você já valeu a pena.
Valeu a pena cada segundo. Valeu a pena por ter sido você.

“Então, uma última vez
Eu preciso ser
Aquela que te leva para casa
Mais uma vez
Prometo que depois dessa, te deixo partir
[…]
Eu só me importo em acordar com você em meus braços
Uma última vez
Preciso ser aquela que te leva para casa.”
Ariana Grande – One Last Time

Anúncios

3 comentários sobre “SUAS MEIAS DE REGGAE

  1. “Você é o inverso de mim. Totalmente e completamente o inverso de mim. E foi esse inverso que eu gostei.
    Você é o lado errado que o meu lado certo jamais me permitiu ser. Você é o lado disperso que o meu lado concentrado jamais me permitiu ser. Você é o lado agitado que o meu lado calmo jamais me permitiu ser. Você é simplesmente você.”
    Geente, que texto mais lindo! me perdi tentando entender o esquema do blog, mas valeu a pena ter vindo aqui! Simplesmente amei esse texto! Que lindo! Quero mais sobre esse garoto, sobre essas meias, sobre essa história! awn!
    Parabéns!
    beeijo
    http://oteoremafeminino.blogspot.com.br/

    1. Obrigada Monique! Nosso blog é realmente diferente, afinal somos três mulheres flawless que escrevem diversos textos que demonstram nossos sentimentos, nossas histórias do cotidiano e tudo mais (flawless = amamos a Diva Bey s2) e adorei o seu blog, viu? Dei uma super olhada nele e curti bastante.
      Ana Valeska, muito obrigadaaaaa, sério! Fico hiper feliz que tenha gostado do nosso blog e sobre essa história linda que aconteceu em minha vida. E prometo que se tiverem “capítulos novos” sobre esse garoto das meias de reggae irei compartilhar com vocês! E ah, seu blog é maravilhoso! Você escreve muitíssimo bem e suas histórias são incríveis como também suas dicas (nós garotas sempre precisamos de dicas porque temos que arrasar em todos os lugares que formos pelo simples fato de sermos flawless!
      E obrigada mais uma vez!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s